Como as mulheres estão cada vez mais se destacando nos jogos online!

Jogo online é coisa de menino? Com certeza que não!

As mulheres estão ocupando, cada dia mais, os espaços de games que até pouco tempo eram monopolizados pelos homens – e sem motivo algum, afinal já somos 59% do público gamer no país!

Sim, segundo a pesquisa Game Brasil 2018, já somos maioria, e aqui estamos falando dos jogos em consoles, dispositivos móveis, lan houses e jogos não só one player mas multiplayer também. Ou seja, onde estiver um game online, as mulheres estarão jogando.

E claro, como tudo que envolve as conquistas femininas, é um movimento que vai parar: a cada ano, centenas de milhões de novos usuários de jogos surgem no mundo, e as mulheres tem se interessado e já estão inseridas nas tribos gamers cada vez mais jovens, o que aumenta a motivação e também ajuda a marcar posição contra o preconceito que ainda existe.

As mulheres ocupam cada vez mais o mundo gamer!

A grande chegada dos games na vida das pessoas ocorreu nos anos 80 e as sociedades, e muito especialmente a brasileira, era machista até mesmo com muitos esportes tradicionais e olímpicos. Com os jogos por computador não foi diferente, principalmente por ainda vivermos a divisão clara de meninas/bonecas e meninos/bolas.

As mulheres não davam importância para os jogos – e que ainda eram familiares e offline – por esta herança cultural e também porque os homens marginalizavam a presença delas. Para eles, jogos de guerra, corrida, lutas eram coisas de garoto.

Assim foi por muito anos, mas também foi se modificando para melhor à medida que as mulheres conquistavam mais espaço na sociedade.

Era inevitável que elas entrariam no mundo gamer por vontade e também porque as empresas desenvolvedoras de jogos perceberam o enorme potencial financeiro com as mulheres se tornando independentes. Inúmeros jogos foram criados baseados exclusivamente em heroínas e uma série de personagens femininas. E a presença da mulher nos games nunca mais parou!

O mundo gamer ainda é machista!

Sim, infelizmente e mesmo com todos os avanços nas últimas décadas da participação das mulheres no universo gamer, elas ainda são vistas com preconceito e pior, são tratadas com desrespeito em muitos ambientes de jogos online.

São comuns os relatos de agressões morais e até de ameaças físicas nos ambientes de jogos online. Muitas mulheres criam nickname masculino para disputar as partidas e até abrem mão de microfones, mas são descobertas justamente por este comportamento que não é usual.

A verdade é que as mulheres, que já provaram ser extremamente competentes em tudo, incluindo os jogos online, têm de viver entre algo que é tradução de modernidade o tempo todo – os jogos – com o de mais atrasado ainda resiste no ser humano.

A gente não quer ser só heroína!

A indústria dos jogos foi decisiva no crescimento da nossa participação neste entretenimento, criando muitos títulos onde a personagem principal é uma mulher, ou jogos com diversas personagens femininas, e dotadas de características que fogem do padrão princesinha.

Não há um juízo sobre gostar das princesas, mas nos tornamos muito mais complexas do que apenas uma coadjuvante na aventura de um personagem masculino. As personagens precisam refletir o que pensam e querem as mulheres do seu tempo.

Porém, dois aspectos tem gerado muita discussão nesta mudança:

  • A contínua sexualização das personagens, que se aproximam mais do ideário masculino – silhuetas perfeitas, roupas provocantes, beleza irretocável – e se afasta justamente do que as mulheres querem: ser vistas muito além de personagens que agradem os homens para os jogos. A fase da mulher independente e bela não satisfaz mais!
  • Continuar derrubando o preconceito quanto ao uso de jogos masculinos – ou originalmente feitos para homens, mas que podem e devem ser espaços para todos!

Jogos no FRIV estão sendo muitos procurados pelo público feminino! Quer conhecer?

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *